24 março 2006

Frangos transgénicos podem combater gripe aviaria

Vários cientistas do Reino Unido estão presentemente a desenvolver um projecto para a criação de aves geneticamente modificadas imunes ao vírus H5N1.

Esta técnica apenas poderá ser posta em prática daqui a alguns anos, já que antes disso terá necessariamente de receber a aprovação dos organismos máximos.

Esta equipa de cientistas já provou que as células das aves são compatíveis à implementação de novos genes, estando já de atenções viradas para um procedimento semelhante com ovos.

Fonte: www.noticias.terra.com.br

Genes de bactéria viral são descobertos

Uma equipa de cientistas, depois de um longo e aprofundado estudo, sequenciaram o genoma completo da bacteria patogênica Xanthomonas campestris pathovar campestris (Xcc), responsável por uma doença denominada podridão negra.

A sequência dos genes virais foram identificados neste estudo, no qual os cientistas procuram encontrar um tratamento para a doença. A Xcc espalha-se nas plantas através do seu tecido vascular, causando-lhe uma lesão ao longo de suas margens.

Fonte: www.noticias.terra.com.br

Genes de bactéria viral são descobertos

Uma equipa de cientistas, depois de um longo e aprofundado estudo, sequenciaram o genoma completo da bacteria patogênica Xanthomonas campestris pathovar campestris (Xcc), responsável por uma doença denominada podridão negra.

A sequência dos genes virais foram identificados neste estudo, no qual os cientistas procuram encontrar um tratamento para a doença. A Xcc espalha-se nas plantas através do seu tecido vascular, causando-lhe uma lesão ao longo de suas margens.

Fonte: www.noticias.terra.com.br

Biotecnologia pode travar reumatismo com eficácia

Vários especialistas afirmaram, em Junho último, que o tratamento de doentes que sofrem de poliartrite crónica, pode ser possível, mesmo após outros tratamentos falhados.

De acordo com os cientistas, este processo prepara anticorpos monoclonais que bloqueiam o factor de necrose alfa, responsável por inflamações. No entanto, o processo não é 100% eficaz, mas para esses casos outros anticorpos monoclonais com novas substâncias são produzidos para combater o problema.

Esta doença pode ser prevenida com o consumo de muita fruta e verdura, e a dispença do tabaco.

Fonte: Sítio www.noticias.terra.com.br

Milho transgénico reforça ratos

Segundo estudo realizado no Reino Unido (ainda em “segredo de justiça”), milho geneticamente modificado desenvolve rins menores e provoca alterações no sangue em ratos.

Apesar do relatório ser confidencial, foi possível apurar que o transgénico é feito com condinome Mon 863, com o intuito de a proteger contra uma das substâncias mais perigosas para o milho.

Sítio www.noticias.terra.com.br

Nascem dois clones bovinos com risco de extinção

O nascimento de dois clones bovinos, merece especial relevância devido ao facto de descenderem de uma vaca com a sua raça em grande perigo de extinção. Deste modo, a entidade responsável (Embrapa), que promove a conservação de animais em vias de extinção, deu mais um passo importante para o avanço da clonagem animal e para a possibilidade de regeneração de espécies ameaçadas de extinção.

Fonte: Sítio www.noticias.terra.com.br

23 março 2006

Arroz transgénico é mais saudável

Uma pesquisa recente, anunciou que a plantação de arroz geneticamente modificado resiste a insectos, aumentando assim a qualidade do produto, a diminuição do uso de pesticidas e consequente redução de doenças em agricultores.
A China é um dos maiores exportadores de arroz e está prestes a comercializar o tipo geneticamente modificado. De acordo com os cientistas, um dos últimos obstáculos para a comercialização do novo arroz, é a realização de estudos independentes que comprovem os benefícios para a saúde dos agricultores e consumidores.

Fonte: Sítio www.noticias.terra.com.br

Transgénicos aprovados pela Comissão Europeia

Comissão Europeia confirma apoio no processo de aprovação de produtos geneticamente modificados. Uma associação de bioindústrias da Europa, anunciou que a Comissão Europeia reconheceu o bom funcionamento do processo de obtenção de produtos geneticamente modificados, o que permite à Europa intensificar a inovação e a competitividade em biotecnologia.

A associação solicitou à Comissão Europeia para que no futuro garanta uma política coerente entre a promoção da pesquisa e inovação com a aprovação de produtos obtidos a partir desses estudos.

Fonte: Sítio www.noticias.terra.com.br

04 março 2006

Genética abre caminho ao lucro

As empresas americanas que financiaram a pesquisa que levou à descodificação do genoma humano vão procurar produzir testes genéticos comercializáveis que possam trazer-lhes lucro. Já existem testes deste tipo a serem distribuídos em grande escala nos Estados Unidos. Um exemplo é o teste que permite despistar um dos genes do cancro. Contudo, a sua utilização comercial em sem acompanhamento médico, pode provocar inúmeros problemas, tais como a incompreensão sobre o que é um teste genético. Este não é um diagnóstico, mas sim uma indicação de que pode haver um factor genético que, em conjunção com outros factores, pode iniciar uma propensão para uma doença.

Fonte: Jornal de Notícias

Técnica com cimento pode travar cancro

Uma nova técnica realizada em ratos, cria novas perspectivas para a cura do cancro. Esta técnica consiste na injecção de um cimento no tumor e o seu aquecimento. Este aquecimento, designado por hipertermia, em que se pode atingir 50º C, permite aquecer localizadamente os tecidos e desencadear um processo de morte natural das células malignas, que pode não acontecer, mas as suas fontes de sobrevivência são destruídas, o que leva a crer na impotência do tumor isolado.

Fonte: Jornal de Notícias

25 fevereiro 2006

Implicações Éticas

Com a sua evolução, a Engenharia Genética, angariou imensos apoiantes. No entanto, apesar dos seus benefícios inegáveis, estas modificações genéticas levantam sérias preocupações éticas relacionadas com eventuais impactos negativos sobre o ambiente, a saúde pública e a sociedade e os seus valores.

A revolta contra esta tecnologia (com especial incidência na clonagem), começou a ganhar marcas em 1993, com a clonagem do primeiro embrião humano. A partir desse momento qualquer tentativa de manipulação de genomas passou a ser susceptível de contestação na especulação da criação de algo superior ao Ser Humano.

17 fevereiro 2006

Realidade da Engenharia Genética/Biotecnologia

No início da década de 70, o conhecimento acerca do DNA (ácido desoxirribonucleico) era muito reduzido, por isso a sua manipulação tornava-se impossível.

Todavia, ao longo das últimas décadas, tem-se assistido a um desenvolvimento acentuado de técnicas de análise e manipulação do DNA, que permitem aos cientistas intervir directamente no destino dos organismos vivos. A constituição de novos genomas a partir da recombinação de segmentos genómicos tornou-se assim possível.

Deste modo, esta tecnologia detém uma vasta gama de finalidades entre as quais se destacam: o desenvolvimento de microrganismos capazes de sintetizarem substâncias úteis (como por exemplo, a insulina humana, vacinas); a realização de testes de paternidade; descoberta de doenças genética; a introdução de genes humanos em bactérias que permitem, por exemplo, a produção em massa de hormonas e vacinas, entre outras.